2021
jul
16
Medicina Veterinária

Medicina Veterinária realiza ação de assistência à animais abandonados

O curso de Medicina Veterinária do Unileste realiza ação de acolhimento, de assistência à saúde e adoção de animais abandonados, por meio do Projeto de Extensão Universitária “Manejo sustentável de animais domésticos abandonados da Região Metropolitana do Vale do Aço”, desenvolvido com estudantes do primeiro período do curso, supervisionados pelo coordenador, Dr. Marcos Vinícius Rodrigues.

Nesta edição do Projeto, os alunos foram divididos em doze grupos e resgataram doze animais, entre cães e gatos. Os grupos realizaram um levantamento sobre os animais abandonados na região que foram recolhidos e direcionados à Clínica Veterinária do Centro Universitário e à outras unidades clínicas do Vale do Aço, onde passaram por exames e receberam tratamento de doenças, além de serem vacinados, vermifugados e castrados. Após a conclusão dos tratamentos de saúde e recuperação da cirurgia de castração, os animais foram direcionados para adoção responsável, verificada e acompanhada pelos estudantes do curso. Os interessados em adotar os animais resgatados receberam uma cartilha de bem-estar animal e instruções sobre o cuidado com os pets, de acordo com as cinco liberdades essenciais do animal: nutricional; sanitária; ambiental; comportamental; e psicológica.

Além do resgate, os estudantes atuam ainda na promoção de ações de conscientização sobre as consequências do abandono de animais. “O Projeto, assim como outras ações de amparo à animais de rua, estimula atos de amor e solidariedade para com essas vidas. Realizar o resgate de um animal abandonado não é simples, principalmente porque a maioria sofre diversos traumas. Mas precisamos abraçar a causa e estimular a sociedade a acolher esses animais”, declara a estudante Ester Oliveira Heringer.

Segundo o coordenador do curso, Dr. Marcos Vinícius Rodrigues, a atividade, além de importante para o desenvolvimento profissional dos futuros Médicos Veterinários, é de grande relevância para a comunidade, pois o abandono animal é um problema de grande abrangência social. “Por meio da ação, nós retiramos diversos gatos e cachorros da rua, local onde poderiam sofrer maus-tratos, passar fome e serem reservatório de doenças infecciosas. Os estudantes do primeiro período do curso participam ativamente do cuidado e manejo desses animais, sempre com orientação de médicos veterinários, direcionando-os para lares seguros, para viverem cercados de afeto e com qualidade de vida”, afirma o professor.

O Projeto também tem a função de desenvolver competências essenciais para os estudantes, que puderam ter uma dimensão da vivência do médico veterinário na atuação da Clínica e Cirúrgica de animais de pequeno porte, compreender sobre o bem-estar animal e sobre a atuação do profissional veterinário na saúde pública. “Como futuros médicos veterinários, é importante que tenhamos consciência de que o resgate de animais abandonados é um problema relacionado à saúde pública e não deve ser feito de qualquer forma. Nós atuamos de acordo com os princípios da ética profissional, respeitando o tempo e espaço dos animais. E esperamos continuar com mais ações como esta, para resgatarmos um número ainda maior de animais”, reitera a estudante do curso de Medicina Veterinária do Unileste, Ana Laura Menezes.

Abandono animal

No Brasil, o abandono de animais é crime federal previsto pelas leis nº 9.605/98 e nº 14.064/20, com pena de detenção de até cinco anos. No estado de Minas Gerais, há também um decreto que pune o abandono e outras situações de maus-tratos contra animais, como privação das necessidades básicas, agressões, exposição a situações perigosas e degradantes, dentre outros.

Apesar disso, estima-se que há mais de 30 milhões de cães e gatos em situação de rua no país. Segundo a AMPARA Animal, em 2020, com a chegada da pandemia da Covid-19, o abandono de animais aumentou em 70%. Este aumento se deve a alguns fatores, como o medo da transmissão do coronavírus por animais – já desmentido pela Organização Mundial da Saúde (OMS) -, aumento do desemprego e a adoção por impulso.

Ter um animal doméstico em casa é uma grande responsabilidade e exige dedicação. Por isso, é preciso planejar e averiguar se o tutor realmente terá condições de zelar pelo bem-estar do pet, antes de decidir pela adoção. Além de sofrerem com o abandono, os animais deixados nas ruas representam um grave problema de saúde pública, podendo transmitir zoonoses e causar acidentes de trânsito.

Ao ver um animal sendo abandonado ou sofrendo maus-tratos, acione o Disque-Denúncia: 181.

Clínica Veterinária

A Clínica Veterinária do Unileste, localizada no campus Coronel Fabriciano, é o espaço de referência para as atividades acadêmicas do curso de Medicina Veterinária, onde são promovidas ações de pesquisa, ensino, extensão e de preservação à saúde dos animais de diversos tipos e portes. Segundo o coordenador do curso, Dr. Marcos Vinícius Rodrigues, a Clínica proporciona aos estudantes “vivências práticas com atendimento clínico e cirúrgico por meio de serviços especializados, qualificados e eficientes à comunidade de baixa renda e às ONG’s de proteção animal da Região Metropolitana do Vale do Aço”, afirma.

A Clínica possui mais de 830 m², e acolhe animais de pequeno, médio e grande porte. A estrutura conta com: consultórios veterinários; salas de triagem, preparação animal e paramentação; bloco cirúrgico; laboratórios de análises clínicas e de imagem; canil, gatil e estábulo; farmácia veterinária; sala de banho e tosa; entre outros. No local, é prestado serviços de qualidade que envolvem orientações de cuidados de manejo, alimentação, vermifugação e vacinação, atuando também nos procedimentos clínicos e cirúrgicos dos animais.

Todas as atividades desenvolvidas pelos estudantes na Clínica Veterinária são supervisionadas por docentes qualificados da Medicina Veterinária, em consonância com os valores éticos e o compromisso do bem-estar animal. Os graduandos também têm a oportunidade de desenvolver ações educativas e de mobilização contínua junto à comunidade, através de medidas de prevenção e controle de enfermidades, promovendo a saúde animal, humana e ambiental.

– Confira fotos de alguns dos animais resgatados pelos alunos do primeiro período do curso de Medicina Veterinária ( as fotografias à esquerda mostram os animais antes do resgate, e à direita após resgate, tratamento e adoção):

Publicado por Brenda Duarte

Notícias Recentes

20 setembro 2021
Unileste realiza Semana de Responsabilidade Social
17 setembro 2021
Unileste empossa novos membros do CONSEPE
17 setembro 2021
Direito promove 12º Seminário de Direito Ambiental