2022
jul
05
Engenharia Elétrica

Engenharia Elétrica promove formação em primeiros socorros para profissionais da educação pública 

Por meio da disciplina “Segurança e meio ambiente”, estudantes do curso de Engenharia Elétrica realizaram, no dia 02 de julho, ação educativa para profissionais da Escola Municipal Estrelinha Azul, localizada no bairro Bom Jardim, em Ipatinga, com foco em práticas relacionadas à percepção de riscos e socorro à vida. A atividade teve apoio do Centro Regional de Referência e Atenção à Saúde do Trabalhador (CEREST) do município e foi embasada na Lei Lucas (13722/18), que tornou obrigatório o preparo de colaboradores das escolas públicas e privadas e espaços de recreação infantil para atendimentos de primeiros socorros. 

A formação foi conduzida pela docente responsável, Dra. Marluce Teixeira Andrade Queiroz, e pelo técnico em enfermagem Ademir Vander Silva, especialista que atua no Hospital Municipal de Ipatinga (HMI) e CEREST/Ipatinga. Segundo Marluce, durante a dinâmica “foram expostos métodos para favorecer a identificação dos locais que oferecem riscos de acidentes e, assim, estabeleceu-se orientações para práticas diárias de prevenção”. A professora informa ainda que os profissionais passaram também por instruções em práticas de massagem cardíaca, transporte de vítimas, desengasgo e outros socorros. 

O coordenador do curso de Engenharia Elétrica, Me. Luciano Bittencourt de Abreu, reforça que as instituições de ensino superior têm como dever proporcionar aos seus discentes uma formação que vá além do acadêmico e impacte de forma positiva na sociedade. “Formamos não só a mão de obra qualificada, mas seres humanos conscientes de seu papel na transformação do mundo. Verifica-se aí, a relevância dessas ações no âmbito institucional, que repercutem em benefícios sociais amplos em função das melhorias ocorridas no desenvolvimento das tarefas com adoção de métodos mais seguros”, finaliza Luciano.  

Lei Lucas 

A Lei Lucas (13722/18, sancionada em outubro de 2018, estabelece a obrigatoriedade do treinamento para atendimentos de primeiros socorros nas instituições de ensino e espaços de recreação infantil. A Lei foi criada após o incidente ocorrido Lucas Begalli, de 10 anos de idade, que faleceu durante um passeio escolar devido a uma asfixia mecânica causada por engasgo. O menino não recebeu os primeiros socorros de forma rápida e adequada pois não havia pessoas capacitadas em primeiros socorros supervisionando a atividade. 

 

Publicado por Brenda Duarte

Notícias Recentes

20 maio 2024
Disparidades ampliadas: uma análise do Ensino Remoto na Pandemia
17 maio 2024
Estudantes criam grupo de estudos sobre Corpo e Discursos na Contemporaneidade 
17 maio 2024
Conexão Educacional: Unileste inaugura Centro de Relacionamento em Ipatinga